Siga o Mestre - #004 - Obedecendo a CRISTO, quebrando as regras...

27.12.12 |


Você que é crente já deve ter lido alguns bilhões de vezes este texto né? Claro que sim... e, muitas vezes mais, deve ter ouvido pregações sobre esse camarada cego que vivia de pedir esmola... afinal de contas, cerca de 2000 anos atrás, não se encontravam ocupações para quem tivesse qualquer tipo de deficiência física, ainda mais num lugar castigado pela dominação de um povo estrangeiro - os romanos - como era o caso do palco em que Jesus e seus compadres perambulavam, a fim de fazer milagres...

Opa... palavrinha CHAVE aparecendo aí para esse texto é MILAGRE, porque foi o que Jesus fez: pegou um mendigo miserável e deficiente e arrancou-lhe a deficiência, fazendo uma referência direta ao perdido que está no mundo; alguém não consegue nada porque é preso por satanás; e, um belo dia, conhece a Jesus e tem sua vida transformada pra sempre... Eita Jesus Maravilho esse, certo?... Bem, na verdade, a palavrinha CHAVE que eu disse ali, não é tão CHAVE assim. O MILAGRE aqui foi coadjuvante de algo muito maior. Acompanhe comigo...

No texto, os discípulos de Jesus, moldados pela REGRA (agora sim, a palavra-chave de verdade) não colocaram em seu questionamento a lógica da graça. As duas opções que eles colocaram para o Cristo foi: 

De quem é a culpa...
A( ) do mendigo cego?
B( ) dos pais do mendigo?

…e Jesus... bem, se você já leu a bíblia, deve saber que uma característica fundamental manifestada pelo Messias, desde sempre, e que os cristãos (supostamente os seguidores de Cristo), de maneira geral, não repetem, é o de ser completamente surpreendente em tudo que fazia;  e sua resposta, não poderia ser menos que um sonoro: “C ( ) N.D.A”, para seus companheiros de caminhada, afirmando que nem o mendigo,  nem os pais deste pecaram. Sabe porque acontecem merdas na Terra? Para que se manifestem OBRAS de Deus na vida das pessoas, para que a igreja se manifeste e acabe com a injustiça, para que a igreja se mova em direção ao oprimido, ao “fracassado”, ao empobrecido, ao desprezado e a todo tipo de manifestação que aponte para longe do reino de Deus e, com a autoridade que só a igreja tem, diga: É CHEGADO O REINO DE DEUS, fazendo isso a partir de suas palavras e atitudes. Simples assim: ser cristão é ser promotor do reino, promotor do amor em qualquer instância. Os discípulos devem ter pensado:

Pohan.... Por essa eu não esperava... Esse Jesus apavora mesmo.

O milagre não foi o principal, foi uma desculpa para Jesus exemplificar aos homens que continuariam a proposta da igreja, como esta deveria se portar na Terra. O questionamento era JUSTO; querer saber o motivo do pedinte não enxergar era muitíssimo justo. O QUESTIONAR, (mais uma palavrinha CHAVE aí, QUESTIONAR), que foi exatamente o que os fariseus fizeram, era justo, certo? Bem... sim e não. Os fariseus do templo ficaram indignados com alguma coisa e mandaram buscar as pessoas que já tinham visto o cego pedindo grana na rua, os pais do cego, e, por fim, o próprio cego;  e, no meio do texto, uma frase muito interessante...

"E era sábado quando Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos." [João 9.14]

…e a partir daí, tudo muda de figura. Um mendigo cego que era um ônus para a sociedade inteira, para sua própria família, deixou de viver aquela vida de ficar jogado num canto fedorento da rua, estava diante dos fariseus, no templo. Isso  não é qualquer coisa! Jesus mudou a vida do cara, redignificou o miserável e o colocou diante de autoridades da fé que tinham apenas um questionamento: O cara não guarda o sábado, como pode ele ser de Deus?

Outro questionamento parecido com o dos discípulos. Os dois grupos usaram o código de ética e moral religiosa/social da época deles, para questionar; os discípulos, para saber se um homem cego tinha culpa ou não por sua condição e os fariseus para questionar se Jesus deveria ou não transformar a vida do cara que vivia jogado no canto. Tá entendendo onde eu quero chegar?

Enquanto Jesus estava preocupado em mostrar para seus discípulos, aqueles que se tornariam o que hoje conhecemos como A IGREJA, que nenhuma regra em si é mais importante que qualquer vida humana, que o objetivo deles seria transformar vidas, colocar novamente numa categoria chamada de SERES HUMANOS aqueles que viviam sendo tratados como lixo pela sociedade; trazer luz aos que estão na escuridão, ser as mãos e pés que Deus tem na Terra para que suas obras sejam manifestas; ser embaixadores do reino, que fariam com que seus cidadãos não sofressem qualquer problema enquanto não estivessem em sua terra e dando asilo a todo aquele que se sentisse perseguido ou, de qualquer forma, ameaçado, tornando-o automaticamente um co-cidadão do céu, os fariseus estavam preocupados se JESUS era de Deus ou do Diabo... Se era CRENTE ou DO MUNDO, porque Enão cumpriu a lei que mandava guardar o sábado de qualquer trabalho...

Somos um pouco fariseus sempre que podemos. É uma herança, que temos já no nosso DNA, o gostar de CUMPRIR REGRAS sem QUESTIONAR o objetivo. De modo geral, é muito mais fácil obedecer cegamente (sem trocadilhos com o cego de nascença) qualquer ordem do que pensar sobre aquilo que estamos fazendo, usando, às vezes, até textos bíblicos - que geralmente nos dão um ar muito mais “espiritual” - para justificar essa nossa preguiça intelectual ou falta de zelo pelo objetivo principal do Reino de Deus: as pessoas! Obedecer sem questionar, não  faz você um cristão melhor, mas um replicador burro, sem qualquer compromisso com o reino de Deus;  faz de você uma marionete;  faz de você, exatamente o que o diabo quer que você seja: tudo, qualquer coisa, menos um bom CRISTÃO.

Deus nos muniu de inteligencia para sermos, de fato, o diferencial de Deus em meio a uma criação caída. Não nos fez máquinas para que sejamos apenas mais uma peça do quebra-cabeça cósmico que Ele criou apenas para se divertir, enquanto não tinha mais nada pra fazer.  E, mesmo que muitos líderes evangélicos da TV, do rádio, da internet, e, até mesmo aí da sua igreja, tentem colocar na sua cabeça que o principal no reino de Deus é o OBEDECER e ponto final, não esqueça que ser CRISTÃO é ser imitador de CRISTO e, se tem algo que a igreja precisa por estes dias, é uma resposta desafiadora e surpreendente que torne os cospe-regras sem compromisso com o Reino, em verdadeiros embaixadores do reino e promotores da vida... mesmo que, para isso, algumas regras precisem ser quebradas.


Cristiano Machado

Cristiano Machado (Convidado Especial)

Cristiano Machado é marido da Leticia e pai da Sarah. Desde os 17 se convertendo a Cristo. Anarquista e apaixonado por causas perdidas, entre elas, a Igreja.

Acesse o blog Crentassos

Todos os textos e imagens de JuveMetodistaBLOG são licenciados sob uma Licença Creative Commons. Clique aqui para saber mais sobre isso.
Leia também:
2leep.com
Deixe seu comentário!

Postar um comentário

Olá, ficamos felizes com sua visita no JuveMetodista BLOG! Obrigado por ler este post! Aproveite sua visita e deixe um comentário! Forte abraço!

Página Anterior Próxima Página