De Pai pra filho

5.11.12 |


No último dia 29/10 assisti ao filme “Gonzaga - de pai para filho”, de Breno Silveira. O filme é uma biografia de Luiz Gonzaga e seu filho, Gonzaguinha, e tem como mote principal o conturbado relacionamento entre os dois. Gosto muito de filmes biográficos e este, em especial, despertou meu interesse por se tratarem de dois personagens que me são muito caros. De um lado, temos Luiz Gonzaga, considerado o Rei do Baião, peça fundamental da cultura nordestina e brasileira; do outro, temos Gonzaguinha, que, por mais que eu não ache um grande cantor, é um dos maiores compositores que o Brasil já conheceu. É autor de uma das músicas mais lindas que ouvi, de nome “Sangrando”.

No ano de 1981, temos Gonzaguinha, genialmente interpretado por Júlio Almeida, no ápice de sua carreira musical e, em contrapartida, Luiz Gonzaga já sofrendo com o ostracismo do mercado musical e a solidão. Por solicitação da ex-madrasta, o filho vai ao encontro do Pai no interior de Pernambuco, pai este com quem teve pouca vivência na infância e adolescência; e este encontro dá origem a uma franca conversa em que ambos se confrontam. Este diálogo dá direção ao filme. Um pai criativo, porém ríspido e com pouco estudo, que fez de tudo para dar sustento ao filho; um filho carente da atenção e do carinho e reconhecimento do pai.

Coincidentemente, assistir a este filme seria um programa familiar para meu último dia de férias, mas por intercorrências, nem minha esposa, nem minha mãe puderam comparecer. Fui somente com meu pai. E eu e meu pai, ali, juntos, assistindo a esta grande história, tornou inevitável a comparação quase paradoxal que, por muitas vezes, me trouxe o choro à garganta: enquanto via a história de um filho que tem pouquíssimas influências de seu pai, eu creio que meu pai seja a maior influência que tenho. Foi por vê-lo sentado em sua cama, dedilhando seu violão, que me interessei por tocar este instrumento; foi ouvindo seus discos dos Arautos do Rei, Nelson Gonçalves, Dilermando Reis, fados portugueses, Paul Mauriat, Vencedores por Cristo, entre outros, que formei minha identidade musical. Além do mais, temos inúmeras semelhanças: o jeito sereno de lidar com as coisas, o perfil de poucas palavras que nos permite ser bem sucintos e diretos quando precisamos usá-las, um pouco de cabeça-dura e, por fim, a semelhança física. Isto permite, sem que nenhum dos dois mencione uma única palavra, que um saiba quase tudo o que o outro está pensando, só por uma troca de olhares. Alguns chegam a dizer que eu e meu pai somos um só, de tanto que carrego sua personalidade.

O paralelo traçado entre a relação dos dois artistas e a minha relação com meu pai é bem parecido com a nossa relação com Deus. O texto de João 10.30 apresenta Jesus dizendo: ” Eu e meu Pai somos um”. E se a palavra diz que temos que ser semelhantes a Jesus, temos que buscar ser um com Deus. Pessoalmente, ser um com Deus é muito mais forte do que compartilhar as ideologias divinas, concordar com seus preceitos e suas premissas; é carregar o caráter de Deus em sua personalidade e ter Deus refletido no seu rosto, ter o Espírito Santo circulando em seu sangue. É fazer com que Deus transpareça em você, bastando somente que você respire. Nesta relação agapal temos um Pai totalmente disponível para demonstrar Seu amor e Sua vontade e, baseados nisto, sermos filhos “gonzaguinhas” ou filhos genuínos é uma escolha exclusiva nossa.

Lembrem-se: Deus tem planos para cada um de nós, mas cabe somente a nós o cumprimento deles em nossas vidas; cabe a nós receber a herança bendita vinda dos céus, cabe a nós tentar entender o que Deus tem preparado, “de pai para filho”,  para cada um de nós.


Eliézer Gomes

Eliézer Gomes

Publicitário, casado, músico por hobby, ministro de louvor, apaixonado pela escrita e agora, tentando ser blogueiro.

Leia mais textos de Eliézer

  • Google Plus
  • rss

Todos os textos e imagens de JuveMetodistaBLOG são licenciados sob uma Licença Creative Commons. Clique aqui para saber mais sobre isso.
Leia também:
2leep.com
Deixe seu comentário!

Postar um comentário

Olá, ficamos felizes com sua visita no JuveMetodista BLOG! Obrigado por ler este post! Aproveite sua visita e deixe um comentário! Forte abraço!

Página Anterior Próxima Página