Louvor é coisa séria

2.10.12 |


Igreja, música, gospel, secular, mundano, certo, errado, pode e não pode. Aposto que todas essas palavras estão frequentemente em nossas discussões sobre músicas, quando relacionadas à igreja. Entretanto, uma situação me chamou a atenção quando assistia a esta grata surpresa, que é o programa The Voice Brasil. Percebi que, nas duas audições já exibidas na TV, os jurados se depararam com candidatos que iniciaram sua trajetória como músicos em igrejas evangélicas e hoje vivem da música, mas estão distantes da igreja. 

Essa não é uma situação nada difícil de encontrar. Em qualquer pesquisa por aí, você vai descobrir que grandes nomes da música começaram a cantar ou tocar os corinhos da igreja. Alguns exemplos: Elvis Presley, U2, Evanescence e Coldplay. É muito comum crianças crescerem tocando nas igrejas; logo se tornam excelentes músicos, já que passaram boa parte do tempo convivendo com os cânticos louvores. 

O que me intriga é nossa tamanha capacidade em produzir ídolos para os outros, uma vez que essas pessoas poderiam utilizar seus dons para proclamar o evangelho. Nessa trajetória entre mundo, igreja e música, existem vários casos. Há aqueles que acham que o altar é lugar de show e, quando percebem que não é esse o propósito, caem fora. Há também aqueles que acham que são os donos do ministério e engessam o talento dos outros; aqueles que só tocam e não sabem nem o que estão fazendo por ali; aqueles que isso, aqueles que aquilo... poderia passar um mês citando problemas, mas sirvo a um Deus que é maior do que qualquer problema. 

Desde os primórdios a música é um elemento fundamental no louvor e na adoração a Deus e, com certeza, quem está em um ministério ligado à música é bastante tentado pelo inimigo. E, nem sempre, estamos preparados para isso. 

Pouco me importa o motivo pelo qual Elvis Presley deixou a igreja, para fazer sucesso como o rei do rock. Quero realmente saber, e sempre me lembrar, que o louvor sara, cura e liberta. Nem sempre temos a dimensão de que, quando estamos à frente da igreja, estamos ali apenas para conduzir a igreja à adoração. Estar na frente, mexe com o ego, com o orgulho, com a vontade de aparecer, e por isso que é difícil. 

Cada vez que ouço um grupo de louvor tocando, me lembro que Davi tocava sua Harpa e tranquilizava Saul. “E sucedia que, quando o espírito mau da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito mau se retirava dele” I Samuel 16:23. Com certeza, para ser usado por Deus, Davi estava cheio de Deus e cheio de unção, e tinha buscado, se esforçado para isso. 

Ministério de Louvor é um negócio muito sério. Não adianta ter talento e não se colocar aos pés do Senhor. Nada contra quem quer participar de um programa para se tornar uma estrela, cada um na sua, pode até dar certo no final. Mas posso frisar que não há nada melhor que você usar o seu dom para fazer a vontade de Deus.


Filipe Souza

Filipe Souza

Cristão, jornalista e observador. Quero apenas aprender com tudo que acontece ao meu redor e poder compartilhar isso com as pessoas. É isso!

Leia mais textos de Filipe

  • Google Plus
  • rss

Todos os textos e imagens de JuveMetodistaBLOG são licenciados sob uma Licença Creative Commons. Clique aqui para saber mais sobre isso.
Leia também:
2leep.com
Deixe seu comentário!

Postar um comentário

Olá, ficamos felizes com sua visita no JuveMetodista BLOG! Obrigado por ler este post! Aproveite sua visita e deixe um comentário! Forte abraço!

Página Anterior Próxima Página