É impossível ser feliz sozinho.

21.9.12 |


Ideia eternizada em várias canções, livros, filmes, etc; é o tema que escolhi para este post. Acredito que um dos males deste século é a solidão, ou até mesmo o isolamento que a rotina dos grandes centros urbanos propiciam a diversas pessoas.

Perdão pelas afirmações óbvias, mas o ser humano não foi criado pra viver só. Somos seres sociais, nossos instintos nos impelem a viver em comunidade. Talvez por conta da fama do meme "Forever Alone", quando falamos em solidão uma das coisas que vêm à mente é aquela figura bizarra chorando; e muitos, certamente, associam isso à falta de uma pessoa pra namorar. O fato é que viver só é muito ruim. E não falo de não ter uma namorada ou namorado. Falo de viver só, mesmo quando temos diversas pessoas à nossa volta. 

Não sei se você, que lê este post, já se sentiu sozinho mesmo em meio a uma multidão. É muito comum ouvir relatos assim vindos de cristãos. E isso é algo meio contraditório, concordam? Se um dos princípios básicos do cristianismo é ter pessoas reunidas compartilhando dos mesmos propósitos, ideais e objetivos, é meio estranho pensar que há a possibilidade de alguém se sentir só dentro de uma comunidade de fé. Mas isso, infelizmente, acontece!

Conheci muitas pessoas que pararam de frequentar suas igrejas e praticamente ninguém notou. Mas estas pessoas notaram que não eram notadas. Talvez um dos males do cristianismo do nosso tempo sejam as igrejas super lotadas. Nada contra, mas nada a favor também. O fato é que se alguém que trabalha ativamente em algum ministério parar de frequentar a igreja, esta pessoa logo é procurada pelas pessoas que sentem falta do serviço prestado, mas, quem não está trabalhando em nada, mas é alguém que fortalece a igreja com suas orações e presença nos cultos e demais atividades, nem sempre é lembrado.

E lá vou eu fazer uma das perguntas que mais faço em meus posts: E aonde quero chegar com isso?

Não dá pra saber se você que está lendo este post faz parte de um ministério ou não, ou até mesmo se congrega em algum lugar. Mas, gostaria de desafiar você a observar mais as pessoas que estão à sua volta. Vejo muita gente falando que o modelo perfeito de igreja é a igreja primitiva descrita no livro de Atos, mas penso que é impossível a igreja deste século ser semelhante à daquele. As situações são muito diferentes, o mundo é outro. Os desafios são diferentes. Mas, algo que eles aprenderam de Jesus e tentaram exercitar, o amor, é algo que nós podemos e devemos aprender também. 

É interessante que eles se interessavam tanto pelo bem estar da comunidade, que vendiam suas propriedades e bens e dividiam tudo entre eles. Isso é impossível, nos dias de hoje; criar uma comunidade assim seria, no mínimo, criar uma seita. Mas, a essência da coisa toda, isso dá pra gente usar. Quer um exemplo?

"Naqueles dias, crescendo o número de discípulos, os judeus de fala grega entre eles queixaram-se dos judeus de fala hebraica, porque suas viúvas estavam sendo esquecidas na distribuição diária de alimento. Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: "Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas. Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Passaremos a eles essa tarefa e nos dedicaremos à oração e ao ministério da palavra"." [Atos 6.1-4]

Estas viúvas, talvez não tivessem muita utilidade para a congregação. Quando digo utilidade, quero dizer que, provavelmente, elas não desempenhavam nenhuma atividade, como os apóstolos, que eram responsáveis pela pregação da palavra e oração. Mas houve uma preocupação com elas quando os apóstolos tomaram ciência de que estavam ficando esquecidas na distribuição dos alimentos. 

As pessoas são importantes, não por aquilo que elas fazem, mas pelo que elas são. E é agora que faço uma ligação deste assunto, com o início do texto. Muitas vezes, pra fazer as engrenagens do sistema eclesiástico rodarem, líderes, pastores e membros de ministérios, deixam de lado pessoas que não julgam ser essenciais para que tudo funcione. E aí, neste momento, as pessoas que não desenvolvem nenhum tipo de serviço numa comunidade de fé, podem estar solitárias em meio a uma multidão.

As atividades de uma igreja, são importantes para o funcionamento dela? Óbvio. Mas, se isso faz as pessoas estarem tão concentradas em coisas que as afastam do convívio e da comunhão com os demais, de nada servem estas atividades, por mais nobres e bem intencionadas que elas sejam. 

Já parou pra pensar que talvez a maior dificuldade que uma igreja enfrenta para crescer(qualitativamente), não seja a falta de atividades ou organização ministerial, mas, apenas falta de relacionamento(comunhão)?

E, levando a coisa pra um outro lado agora, já conheceram alguém que trabalha tanto em seu(s) ministério(s) que não tem tempo para se relacionar nem mesmo com seus familiares? 

O serviço, só faz sentido quando, no decorrer dele e não apenas no fim, pessoas são abençoadas, amadas, lembradas, etc. Grandes realizações, ministerialmente falando, desacompanhadas de relacionamento e comunhão, não servem de nada.  

Não viva sozinho e não deixe ninguém à sua volta viver sozinho! Seu serviço para Deus ou para a Igreja, só faz sentido se, durante ele, você amar as pessoas que estão à sua volta, dando atenção, carinho e respeito a elas. 

"Fundamental é mesmo o amor
É impossível ser feliz sozinho..." - Wave - Tom Jobim


Luiz Fernando Pimentel

Luiz Fernando Pimentel

Sou designer freelancer, arranho uns acordes em minhas guitarras e moro em Vitória/ES.

Leia mais textos de Luiz

  • Google Plus
  • SoundCloud
  • Vimeo
  • Youtube
  • Blogger
  • rss

Todos os textos e imagens de JuveMetodistaBLOG são licenciados sob uma Licença Creative Commons. Clique aqui para saber mais sobre isso.
Leia também:
2leep.com
Deixe seu comentário!

Postar um comentário

Olá, ficamos felizes com sua visita no JuveMetodista BLOG! Obrigado por ler este post! Aproveite sua visita e deixe um comentário! Forte abraço!

Página Anterior Próxima Página