Fazer para Deus é estar com Deus?

16.7.12 |


Quero iniciar esta explanação fazendo justiça. Informo que esta interpretação não é de minha autoria, nem fruto de uma experiência pessoal, mas é uma impressão minha, a respeito de uma mensagem que ouvi, e quem tem martelado a minha mente nos últimos dias.

O texto de Lc 10.38-42 relata a visita de Jesus à casa de Maria e Marta. O cenário mostra Maria prostrada aos pés do Mestre, ouvindo seus ensinamentos, e Marta extremamente ocupada com seus afazeres, ao ponto de pedir a Jesus que Ele ordenasse que Maria fosse ajudá-la. A resposta de Jesus foi: 

E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” Lc 10. 41 e 42.

A simples constatação é que podemos imaginar uma Marta se atentando em preparar a casa, ordenar as coisas, preparar uma refeição e priorizar elementos que Jesus não lhe pediu que fossem priorizados, enquanto Maria, na posição de discípula, tinha como principal objetivo a presença e os ensinamentos do Mestre.

Creio que, partindo desta premissa, muitos dos que leem esta constatação estão se enxergando, assim como a carapuça me serviu. Nos ministérios da Igreja, este erro é cometido de forma incontável. Posso citar alguns exemplos aqui:

- Se você faz parte do ministério de música da igreja, com certeza já passou pela situação de gastar todo o sábado ensaiando aquela música arrebatadora, cheia de vozes e arranjos, através da qual até o pastor iria se converter de novo, e, simplesmente, a música não fluiu no culto. Qual o tempo de oração investido antes do ensaio para chegar à conclusão de que aquela música era necessária para o culto?

- Quantas vezes foram organizados eventos, congressos, bazares e confraternizações que foram um grande fiasco na agenda da igreja? O quanto estas atividades foram geradas no coração de Deus antes de acontecerem?

- Se você é pastor, quantas vezes você tem uma liturgia pré-estabelecida para o culto e, na ocorrência de não ter o coral cantando ou o louvor suprimido, colocou aquele irmão falando bobagem no testemunho ou a irmã fazendo aquele solo trágico de tão desafinado, só para preencher o tempo e se arrependeu amargamente? Ou a sua liturgia tem sido colocada todos os dias aos pés da cruz, para ser edificante para a igreja, independente de durar meia ou duas horas?

- Se você já foi convidado a pregar ou ministrar um estudo, quantas vezes passou dias lendo a Palavra, buscando um discernimento que, na ministração, pareceu extremamente equivocado? Em que intensidade, você tem usado a Bíblia, independente de ministração, para sua edificação e crescimento pessoal e espiritual?

A tônica desta explanação é que vemos um número grande de ministros e pastores na igreja que estão cansados, porque trabalham demais e têm poucos ou nenhum frutos. Frustram-se, desanimam e abandonam ministérios. Em contrapartida, qual é o grau de investimento em jejum, oração e leitura da Palavra, para que todo o trabalho e esforço a fazer seja estratégia de Deus e, consequentemente, gere resultado? Ouso perguntar: Deus realmente lhe pediu o objetivo do seu trabalho?

É possível imaginar, ao final da visita de Jesus, Marta reclamando de tudo, estafada ao fim do dia e frustrada com o resultado de seu trabalho e Maria regozijando-se porque estava cheia do conhecimento e da presença de Deus. O motivo: Jesus não pediu um trabalho sequer delas; Ele só pediu a atenção delas para seus ensinamentos.

Se você, hoje, tem a impressão de que tudo o que você tenta fazer para Deus lhe dá cansaço, enfado e frustração, talvez você não tenha perguntado a Ele qual o trabalho que Ele espera de você. Não considere este texto uma desculpa para ficar parado; trabalhe duro e sempre, mas com estratégia do alto.









Todos os textos e imagens de JuveMetodistaBLOG são licenciados sob uma Licença Creative Commons. Clique aqui para saber mais sobre isso.
Leia também:
2leep.com
Deixe seu comentário!

Matheus Jesus

Oo Eliezer, essa é a mais pura verdade! Nossa preocupação com as coisas, muitas vezes nos faz esquecer do motivo, da razão, do porque e principalmente do PRA QUEM estamos fazendo! Que bom que Deus te alertou disso...vou compartilhar creio que tem muita gente precisando ouvir (LER) isso.

Postar um comentário

Olá, ficamos felizes com sua visita no JuveMetodista BLOG! Obrigado por ler este post! Aproveite sua visita e deixe um comentário! Forte abraço!

Página Anterior Próxima Página